terça-feira, 17 de março de 2015

Evangelho comentou, «A água que lhe der, tornar-se-á nele uma fonte de água jorrando para a vida eterna» (Jo 4,14) Evangelho segundo S. João 5,1-16.


Naquele tempo, por ocasião de uma festa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém. 
Existe em Jerusalém, junto à porta das ovelhas, uma piscina, chamada, em hebraico, Betsatá, que tem cinco pórticos. 
e neles jaziam numerosos doentes, cegos, coxos e paralíticos. 

Estava ali também um homem, enfermo havia trinta e oito anos. 
Ao vê-lo deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, Jesus perguntou-lhe: «Queres ser curado?» 
O enfermo respondeu-Lhe: «Senhor, não tenho ninguém que me introduza na piscina, quando a água é agitada; enquanto eu vou, outro desce antes de mim». 
Disse-lhe Jesus: «Levanta-te, toma a tua enxerga e anda». 
No mesmo instante o homem ficou são, tomou a sua enxerga e começou a caminhar. Ora aquele dia era sábado. 
Diziam os judeus àquele que tinha sido curado: «Hoje é sábado: não podes levar a tua enxerga». 
Mas ele respondeu-lhes: «Aquele que me curou disse-me: ‘Toma a tua enxerga e anda’». 
Perguntaram-lhe então: «Quem é que te disse: ‘Toma a tua enxerga e anda’». 
Mas o homem que tinha sido curado não sabia quem era, porque Jesus tinha-Se afastado da multidão que estava naquele local. 
Mais tarde, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: «Agora estás são. Não voltes a pecar, para que não te suceda coisa pior». 
O homem foi então dizer aos judeus que era Jesus quem o tinha curado. 
Desde então os judeus começaram a perseguir Jesus, por fazer isto num dia de sábado. 

Evangelho comentou, 
«A água que lhe der, tornar-se-á nele uma fonte de água  jorrando para a vida eterna» (Jo 4,14)

O Senhor deu-se a conhecer melhor. Ele empenhou-se em fazer compreender melhor os dons da Sua Graça. Ele mandou-nos louvar o Seu nome; os nossos espíritos cantam o Seu Espírito Santo. Pois um ribeiro jorrou e tornou-se uma grande e poderosa torrente (Ez 47,1s). Ela inundou e fendeu o universo e transportou-o para o Templo. Os obstáculos dos homens não conseguiram detê-la, nem mesmo os artifícios dos construtores de diques, pois ela veio sobre toda a terra e encheu-a completamente.
Beberam todos os sequiosos da terra e a sua sede foi saciada, pois o Altíssimo dessedentou os seus. Felizes os servidores a quem Ele confiou as Suas águas; eles puderam acalmar nelas os seus lábios ressequidos e restabelecer a sua vontade paralisada. As almas moribundas foram arrancadas à morte; os membros esgotados foram reerguidos e estão de pé. Têm a força nos seus passos e a luz nos seus olhos. Todos os conheceram no Senhor; eles vivem através da água viva para a eternidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário