sábado, 18 de abril de 2015

Evangelho comentou, «Sobre o mar foi o vosso caminho, e a vossa senda no meio de águas caudalosas», S. João 6,16-21.

Livro dos Actos dos Apóstolos 6,1-7. 
Naqueles dias, aumentando o número dos discípulos, os helenistas começaram a murmurar contra os hebreus, porque no serviço diário não se fazia caso das suas viúvas.
Então os Doze convocaram a assembleia dos discípulos e disseram: «Não convém que deixemos de pregar a palavra de Deus, para servirmos às mesas. 
Escolhei entre vós, irmãos, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, para lhes confiarmos esse cargo. 
Quanto a nós, vamos dedicar-nos à oração e ao ministério da palavra». 
A proposta agradou a toda a assembleia; e escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. 
Apresentaram-nos aos Apóstolos e estes oraram e impuseram as mãos sobre eles. 
A palavra de Deus ia-se divulgando cada vez mais; o número dos discípulos aumentava consideravelmente em Jerusalém e também obedecia à fé grande número de sacerdotes. 



Livro de Salmos 33(32),1-2.4-5.18-19. 
Justos, aclamai o Senhor, 
os corações retos devem louvá-l’O. 
Louvai o Senhor com a cítara, 
cantai-Lhe salmos ao som da harpa. 

A palavra do Senhor é reta, 
da fidelidade nascem as suas obras. 
Ele ama a justiça e a retidão: 
a terra está cheia da bondade do Senhor. 

Os olhos do Senhor estão voltados para os que O temem, 
para os que esperam na sua bondade, 
para libertar da morte as suas almas 
e os alimentar no tempo da fome. 




Evangelho segundo S. João 6,16-21. 
Ao cair da tarde, os discípulos de Jesus desceram até junto do mar, 
subiram para um barco e seguiram para a outra margem, em direção a Cafarnaum. Já fazia escuro e Jesus ainda não tinha ido ter com eles. 
Como o vento soprava forte, o mar ia-se encrespando. 
Tendo eles remado duas e meia a três milhas, viram Jesus aproximar-Se do barco, caminhando sobre o mar e tiveram medo. 
Mas Jesus disse-lhes: «Sou Eu. Não temais». 
Quiseram então recebê-l’O no barco mas logo o barco chegou à terra para onde se dirigiam. 

«Sobre o mar foi o vosso caminho, e a vossa senda no meio de águas caudalosas» (Sl 76, 20)

Tu és santo, Senhor, Deus omnipotente, 
Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, 
Paraíso da felicidade, ceptro real, 
Amor sumptuoso, esperança segura. […] 

Tu és santo, Senhor Deus, 
Tu és «Rei dos reis e Senhor dos senhores, 
O único que possui a imortalidade 
E que habita na luz inacessível 
A quem nenhum homem viu nem pode ver» (1Tim 6, 15-16). 

Caminhas nas asas dos ventos (Sl 103, 3); 
Criaste o céu, a terra e o mar 
E tudo o que eles encerram (Act 4, 24). 

Tu fizeste dos ventos teus mensageiros 
E do fogo ardente teu servidor (Sl 103, 4); 
Tu moldaste o homem à tua imagem e semelhança (Gn 1, 26), 
Tu mediste o céu com o teu palmo 
E a terra inteira com a concavidade da tua mão (Is 40, 12). 
Sim, as tuas obras são belas na tua presença.


Nenhum comentário:

Postar um comentário