domingo, 17 de maio de 2015

«Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida» (Lc 15,6) Marcos 16,15-20.

Actos dos Apóstolos 1,1-11. 
No meu primeiro livro, ó Teófilo, narrei todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, desde o princípio
até ao dia em que foi elevado ao Céu, depois de ter dado, pelo Espírito Santo, as suas instruções aos Apóstolos que escolhera.
Foi também a eles que, depois da sua paixão, Se apresentou vivo com muitas provas, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando-lhes do reino de Deus.
Um dia em que estava com eles à mesa, mandou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, «da qual – disse Ele – Me ouvistes falar.
Na verdade, João batizou com água; vós, porém, sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias».
Aqueles que se tinham reunido começaram a perguntar: «Senhor, é agora que vais restaurar o reino de Israel?».
Ele respondeu-lhes: «Não vos compete saber os tempos ou os momentos que o Pai determinou com a sua autoridade;
mas recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judeia e na Samaria e até aos confins da terra».
Dito isto, elevou-Se à vista deles, e uma nuvem escondeu-O a seus olhos.
E estando de olhar fito no Céu, enquanto Jesus Se afastava, apresentaram-se-lhes dois homens vestidos de branco,
que disseram: «Homens da Galileia, porque estais a olhar para o Céu? Esse Jesus, que do meio de vós foi elevado para o Céu, virá do mesmo modo que O vistes ir para o Céu».



Livro de Salmos 47(46),2-3.6-9.
Povos todos, batei palmas, 
aclamai a Deus com brados de alegria, 
porque o Senhor, o Altíssimo, é terrível, 
o Rei soberano de toda a terra. 

Deus subiu entre aclamações, 
o Senhor subiu ao som da trombeta. 
Cantai hinos a Deus, cantai, 
cantai hinos ao nosso Rei, cantai. 

Deus é Rei do universo: 
cantai os hinos mais belos. 
Deus reina sobre os povos, 
Deus está sentado no seu trono sagrado. 




Carta aos Efésios 1,17-23. 
Irmãos: O Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda um espírito de sabedoria e de revelação para O conhecerdes plenamente e ilumine os olhos do vosso coração, para compreenderdes a esperança a que fostes chamados, os tesouros de glória da sua herança entre os santos e a incomensurável grandeza do seu poder para nós os crentes.
Assim o mostra a eficácia da poderosa força que exerceu em Cristo, que Ele ressuscitou dos mortos e colocou à sua direita nos Céus,
acima de todo o Principado, Poder, Virtude e Soberania, acima de todo o nome que é pronunciado, não só neste mundo, mas também no mundo que há-de vir.
Tudo submeteu aos seus pés e pô-l’O acima de todas as coisas, como cabeça de toda a Igreja,
que é o seu corpo, a plenitude d’Aquele que preenche tudo em todos.



Evangelho segundo S. Marcos 16,15-20. 
Naquele tempo, Jesus apareceu aos Onze e disse-lhes: «Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura.
Quem acreditar e for batizado será salvo; mas quem não acreditar será condenado.
Eis os milagres que acompanharão os que acreditarem: expulsarão os demónios em meu nome; falarão novas línguas;
se pegarem em serpentes ou beberem veneno, não sofrerão nenhum mal; e quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados».
E assim o Senhor Jesus, depois de ter falado com eles, foi elevado ao Céu e sentou-Se à direita de Deus.
Eles partiram a pregar por toda a parte, e o Senhor cooperava com eles, confirmando a sua palavra com os milagres que a acompanhavam.



«Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida» (Lc 15,6)

No dia da tua ascensão, ó Cristo Rei,
Os homens e os anjos exclamam:
«Tu és santo, Senhor, porque desceste à terra e salvaste Adão, 
O homem feito de pó (Gn 2,7),
Do abismo da morte e do pecado,
E pela tua santa ascensão, ó Filho de Deus,
Os céus e a terra entram em paz.
Glória Àquele que Te enviou!»
A Igreja viu o seu Esposo em glória,
E esqueceu os duros sofrimentos do Gólgota.
Em vez do fardo da cruz que carregava,
Uma nuvem de luz O carrega.
Eis que Se eleva, vestido de esplendor e de glória.


Cumpre-se hoje um grande prodígio no Monte das Oliveiras:
Quem o conseguirá descrever? […]
Nosso Senhor descera à procura de Adão
E, após ter encontrado aquele que estava perdido,
Pô-lo aos ombros
E em glória consigo o introduziu nos céus (cf Lc 15,4ss).
Ele veio até nós e mostrou-nos que era Deus;
Tomou um corpo e mostrou que era homem;
Desceu aos infernos e mostrou que morrera;
Elevou-Se aos céus e foi exaltado, mostrando toda a sua grandeza.
Bendita seja a sua exaltação!


No dia do seu nascimento, Maria rejubila,
No dia da sua morte, a Terra treme,
No dia da sua ressurreição, o inferno aflige-se,
No dia da sua ascensão, os céus exultam.
Bendita seja a sua ascensão!



Nenhum comentário:

Postar um comentário