quinta-feira, 14 de maio de 2015

«Dei-vos a conhecer tudo o que ouvi ao meu Pai.» João 15,9-17.

Actos dos Apóstolos 1,15-17.20-26. 
Naqueles dias, estavam reunidas cerca de cento e vinte pessoas. Pedro levantou-se no meio dos irmãos e disse:
«Irmãos, era necessário que se cumprisse o que o Espírito Santo anunciou na Escritura, pela boca de David, a respeito de Judas, que foi o guia dos que prenderam Jesus.
Na verdade, era um dos nossos e foi-lhe atribuída uma parte neste ministério.
Está escrito no Livro dos Salmos: ‘Fique deserta a sua morada e não haja quem nela habite’. E ainda: ‘Receba outro o seu cargo’.
É necessário, portanto, que de entre os homens que estiveram connosco durante todo o tempo que o Senhor Jesus viveu no meio de nós,
desde o batismo de João até ao dia em que do meio de nós foi elevado ao Céu, um deles se torne connosco testemunha da sua ressurreição».
Apresentaram dois: José, chamado Barsabás, de sobrenome Justo, e Matias.
E oraram, dizendo: «Senhor, que conheceis o coração de todos os homens, indicai-nos qual destes dois escolhestes
para ocupar, no ministério apostólico, o lugar que Judas abandonou, a fim de ir para o seu lugar».
Deitaram sortes sobre eles e a sorte caiu em Matias que foi agregado aos onze Apóstolos.






Livro de Salmos 113(112),1-8. 
Louvai, servos do Senhor, 
louvai o nome do Senhor. 
Bendito seja o nome do Senhor, 
agora e para sempre. 

Desde o nascer ao pôr do sol, 
seja louvado o nome do Senhor. 
O Senhor domina sobre todos os povos, 
a sua glória está acima dos céus. 

Quem se compara ao Senhor nosso Deus, 
que tem o seu trono nas alturas 
e Se inclina lá do alto 
a olhar o céu e a terra? 

Levanta do pó o indigente 
e tira o pobre da miséria, 
para o fazer sentar com os grandes, 
com os grandes do seu povo. 




Evangelho segundo S. João 15,9-17. 
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Assim como o Pai Me amou,  também Eu vos amei. Permanecei no meu amor.
Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como Eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor.
Disse-vos estas coisas, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja completa.
É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei.
Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos.
Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando.
Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi a meu Pai.
Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça. E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá.
O que vos mando é que vos ameis uns aos outros».

«Dei-vos a conhecer tudo o que ouvi ao meu Pai.»

Entre os seus discípulos, Cristo escolheu alguns aos quais Se ligou mais intensamente, para os enviar a pregar a todos os povos. E, quando um deles se separou dos restantes, ordenou aos outros onze, antes do seu regresso ao Pai depois da ressurreição, que fossem ensinar as nações e as baptizassem em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28,19).

Os apóstolos – cujo nome significa «enviados» – trataram imediatamente de tirar à sorte Matias para o lugar de Judas, segundo a profecia contida no salmo de David (108,8), e receberam, com a força do Espírito Santo que lhes fora prometida, o dom de milagres e de línguas. Primeiro na Judeia, deram testemunho da fé em Jesus Cristo e instituíram Igrejas; e daí, partiram para todo o mundo, difundindo entre as nações os mesmos ensinamentos e a mesma fé. […]

Qual foi a pregação dos apóstolos? Que revelação lhes fez Cristo? Eu diria que a melhor maneira de responder a estas perguntas é através das mesmas Igrejas que eles fundaram pessoalmente, pregando de viva voz e através dos seus escritos. Assim sendo, é incontestável que toda a doutrina que está de acordo com estas Igrejas apostólicas, mães e fontes da fé, deve ser considerada verdadeira porque contém aquilo que as Igrejas receberam dos apóstolos, os apóstolos de Cristo e Cristo de Deus.




Nenhum comentário:

Postar um comentário