sábado, 23 de maio de 2015

Exemplo tolerância mútua de Cristo (Romanos 15,1-13)



15 Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edificá-lo. Pois também Cristo não agradou a si próprio, mas, como está escrito: “Os insultos daqueles que te insultam caíram sobre mim”. Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança.
O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhes um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só voz vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.
Portanto, aceitem-se uns aos outros, da mesma forma que Cristo os aceitou, a fim de que vocês glorifiquem a Deus. Pois eu lhes digo que Cristo se tornou servo dos que são da circuncisão, por amor à verdade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos patriarcas, a fim de que os gentios glorifiquem a Deus por sua misericórdia, como está escrito:
“Por isso, eu te louvarei
    entre os gentios;
Cantarei louvores ao teu nome”.
10 E também diz:
“Cantem de alegria, ó gentios,
    com o povo dele”.
11 E mais:
“Louvem o Senhor,
    todos vocês, gentios;
cantem louvores a ele
    todos os povos”.
12 E Isaías também diz:
“Brotará a raiz de Jessé,
aquele que se levantará
    para reinar sobre os gentios;
estes colocarão nele
    a sua esperança”.
13 Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário