domingo, 7 de junho de 2015

SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO ---Evangelho segundo S. Marcos 14,12-16.22-26.



Livro de Êxodo 24,3-8. 
Naqueles dias, Moisés veio comunicar ao povo todas as palavras do Senhor e todas as suas leis. O povo inteiro respondeu numa só voz: «Faremos tudo o que o Senhor ordenou».
Moisés escreveu todas as palavras do Senhor. No dia seguinte, levantou-se muito cedo, construiu um altar no sopé do monte e ergueu doze pedras pelas doze tribos de Israel.
Depois mandou que alguns jovens israelitas oferecessem holocaustos e imolassem novilhos, como sacrifícios pacíficos ao Senhor.
Moisés recolheu metade do sangue, deitou-o em vasilhas e derramou a outra metade sobre o altar.
Depois, tomou o Livro da Aliança e leu-o em voz alta ao povo, que respondeu: «Faremos quanto o Senhor disse e em tudo obedeceremos».
Então, Moisés tomou o sangue e aspergiu com ele o povo, dizendo: «Este é o sangue da aliança que o Senhor firmou convosco, mediante todas estas palavras».



Livro de Salmos 116(115),12-13.15.16bc.17-18. 
Como agradecerei ao Senhor
tudo quanto Ele me deu?
Elevarei o cálice da salvação,

invocando o nome do Senhor.
É preciosa aos olhos do Senhor a morte dos seus fiéis.
Senhor, sou vosso servo, filho da vossa serva:

quebrastes as minhas cadeias.
Oferecer-Vos-ei um sacrifício de louvor, invocando, Senhor, o vosso nome.
Cumprirei as minhas promessas ao Senhor na presença de todo o povo.




Carta aos Hebreus 9,11-15.
Irmãos: Cristo veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Atravessou o tabernáculo maior e mais perfeito, que não foi feito por mãos humanas, nem pertence a este mundo,
e entrou de uma vez para sempre no Santuário. Não derramou sangue de cabritos e novilhos, mas o seu próprio Sangue, e alcançou-nos uma redenção eterna.
Na verdade, se o sangue de cabritos e de toiros e a cinza de vitela, aspergidos sobre os que estão impuros, os santificam em ordem à pureza legal,
quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno Se ofereceu a Deus como vítima sem mancha, purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!
Por isso, Ele é mediador de uma nova aliança, para que, intervindo a sua morte para remissão das transgressões cometidas durante a primeira aliança, os que são chamados recebam a herança eterna prometida.



Evangelho segundo S. Marcos 14,12-16.22-26.
No primeiro dia dos Ázimos, em que se imolava o cordeiro pascal, os discípulos perguntaram a Jesus: «Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?».
Jesus enviou dois discípulos e disse-lhes: «Ide à cidade. Virá ao vosso encontro um homem com uma bilha de água. Segui-o
e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: «O Mestre pergunta: Onde está a sala, em que hei-de comer a Páscoa com os meus discípulos?».
Ele vos mostrará uma grande sala no andar superior, alcatifada e pronta. Preparai-nos lá o que é preciso».
Os discípulos partiram e foram à cidade. Encontraram tudo como Jesus lhes tinha dito e prepararam a Páscoa.
Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, recitou a bênção e partiu-o, deu-o aos discípulos e disse: «Tomai: isto é o meu corpo».
Depois tomou um cálice, deu graças e entregou-lho. E todos beberam dele.
Disse Jesus: «Este é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado pela multidão dos homens.
Em verdade vos digo: Não voltarei a beber do fruto da videira, até ao dia em que beberei do vinho novo no reino de Deus».
Cantaram os salmos e saíram para o monte das Oliveiras.

«Isto é o Meu sangue, o sangue da nova aliança, 
que será derramado por vós e por todos»

Hoje contemplámos Nosso Senhor Jesus Cristo no altar.
Hoje alimentámo-nos do carvão em fogo, à sombra do qual cantam os querubins.
Hoje ouvimos a voz forte e suave, que nos dizia:

Este corpo queima os espinhos dos pecados, ilumina as almas dos homens.
Este corpo foi tocado pela hemorroísa, que ficou livre da sua enfermidade.
Ao ver este corpo, a filha da cananeia ficou sarada.
A pecadora aproximou-se deste corpo com toda a alma e ficou liberta do lodo dos seus pecados.
Este corpo foi tocado por Tomé, que o reconheceu, exclamando: «Meu Senhor e meu Deus!»
Este corpo, grande e altíssimo, é o fundamento da nossa salvação.

Outrora, Aquele que é o Verbo e a Vida disse-nos:
«Este sangue foi derramado por vós, para remissão dos pecados».
Nós bebemos, bem-amados, o sangue santo e imortal.
Nós bebemos, bem-amados, o sangue que correu do lado do Senhor,
Que sara todas as doenças, que liberta todas as almas.
Nós bebemos o sangue pelo qual fomos resgatados,
Fomos comprados e instruídos, fomos iluminados.
Reparai, irmãos, no corpo que comemos!
Reparai, filhos, no sangue que nos inebriou!
Reparai na aliança concluída com o nosso Deus, e receai corar no dia terrível, no dia do juízo (cf 1Cor 11,29).

Quem poderá glorificar o mistério da graça?
Fomos julgados dignos de participar do dom.
Perseveremos até ao fim, para O ouvirmos dizer, na sua voz feliz, na sua voz suave e santa:
«Vinde benditos de meu Pai, recebei em herança o Reino que está preparado para vós» (Mt 25,34). [...]

Bem-amados, celebramos as maravilhas do baptismo de Jesus (cf Mc 10,38),
A sua sagrada e vivificante ressurreição,
Pela qual foi dada a salvação ao mundo.
Todos esperamos a sua feliz realização,
Na graça e na benevolência de Nosso Senhor Jesus Cristo:
A Ele a glória, a honra e a adoração.




Nenhum comentário:

Postar um comentário