sábado, 5 de março de 2016

Tem piedade de mim que sou pecado

Livro de Oseias 6,1-6. 
Vinde, voltemos para o Senhor. Se Ele nos feriu, Ele nos curará. Se nos atingiu com os seus golpes, Ele tratará as nossas feridas. 
Ao fim de dois dias, Ele nos fará viver de novo; ao terceiro dia nos levantará e viveremos na sua presença. 
Procuremos conhecer o Senhor: a sua vinda é certa como a aurora. Virá a nós como o aguaceiro de Outono, como a chuva da Primavera sobre a face da terra. 
«Que farei por ti, Efraim? Que farei por ti, Judá?» — diz o Senhor — «O vosso amor é como o nevoeiro da manhã, como o orvalho da madrugada que logo se evapora. 
Por isso os castiguei por meio dos Profetas e os matei com palavras da minha boca; e o meu direito resplandece como a luz. 
Porque Eu quero a misericórdia e não os sacrifícios, o conhecimento de Deus, mais que os holocaustos». 



Livro de Salmos 51(50),3-4.18-19.20-21ab. 
Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade, 
pela vossa grande misericórdia apagai os meus pecados. 
Lavai-me de toda a iniquidade 
e purificai-me de todas as faltas. 

Não é do sacrifício que Vos agradais 
e, se eu oferecer um holocausto, não o aceitareis. 
Sacrifício agradável a Deus 
é o espírito arrependido: 

não desprezareis, Senhor, 
um espírito humilhado e contrito. 
Pela vossa bondade, 
tratai Sião com benevolência, 

reconstruí os muros de Jerusalém. 
EntãoVos agradareis dos sacrifícios devidos, oblações e holocaustos; 
então serão oferecidos vítimas 
sobre o vosso altar




Evangelho segundo S. Lucas 18,9-14. 
Naquele tempo, Jesus disse a seguinte parábola para alguns que se consideravam justos e desprezavam os outros: « 
Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro publicano. 
O fariseu, de pé, orava assim: ‘Meu Deus, dou-Vos graças por não ser como os outros homens, que são ladrões, injustos e adúlteros, nem como este publicano. 
Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de tudo quanto possuo’. 
O publicano ficou a distância e nem sequer se atrevia a erguer os olhos ao Céu; mas batia no peito e dizia: ‘Meu Deus, tende compaixão de mim, que sou pecador’. 
Eu vos digo que este desceu justificado para sua casa e o outro não. Porque todo aquele que se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado». 



«Tem piedade de mim que sou pecador»
Que a vossa oração seja muito simples; uma só palavra bastou ao publicano e ao filho pródigo para obterem o perdão de Deus (cf Lc 15,21). [...] Não rebusqueis palavras na vossa oração; quantas vezes o balbuciar simples e monótono das crianças não dobrou a vontade de seus pais? Não vos lanceis, pois, em longos discursos, para que o vosso espírito não se distraia na busca das palavras. Uma só palavra do publicano tocou a misericórdia de Deus; uma só palavra cheia de fé salvou o bom ladrão (cf Lc 23,42). O palavreado na oração enche o espírito de imagens e distrai-o, ao passo que uma só palavra tem, muitas vezes, o efeito de o concentrar. Sentis-vos consolados com uma palavra na vossa oração? Pois detende-vos nela, porque é o vosso anjo que reza convosco. Não vos sintais excessivamente seguros, mesmo que tenhais atingido a pureza, mas vivei em grande humildade e sentir-vos-eis confiantes. Ainda que tenhais subido a escada da perfeição, pedi perdão pelos vossos pecados; escutai o que diz São Paulo: «Sou o primeiro dos pecadores» (1Tim 1,15). [...] Se estiverdes revestidos de mansidão e libertos de toda a cólera, não vos custará muito libertar o vosso espírito do cativeiro.

Enquanto não conseguirmos uma oração verdadeira, assemelhamo-nos aos que ensinam as crianças a dar os primeiros passos. Trabalhai para elevar o vosso pensamento ou, melhor, para o confinar às palavras da vossa oração; se a fraqueza da infância o fizer cair, erguei-o. Porque o espírito é instável por natureza mas Aquele que pode tudo fortalecer também pode estabilizar o vosso espírito. [...] O primeiro degrau da oração consiste, pois, em expulsar com uma palavra simples as sugestões do espírito no próprio momento em que elas se apresentam. O segundo, em guardar o nosso pensamento apenas para o que dizemos e pensamos. O terceiro é a entrega da alma ao Senhor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário